Inauguração Exposição "Terra de Boa Gente", de Mário Macilau
Inauguração Exposição "Terra de Boa Gente", de Mário Macilau

Notícias

Inauguração Exposição "Terra de Boa Gente", de Mário Macilau

2009-08-13

Foi inaugurada no Instituto Camões de Maputo, no passado dia 12 Agosto a exposição "Terra de Boa Gente" de Mário Macilau.
 
A exposição contou com o apoio da Fundação PLMJ, apoio que se materializou na instalação de videoarte "Xiquelene Parte I". A instalação, que constava de uma representação de uma barraca do mercado de Xiquelene (Maputo), de onde era projectado o video, atraiu a curiosidade dos inúmeros visitantes que compareceram à inauguração.

Mário Macilau nasceu na recém-independente Moçambique, durante a fase mais crítica da guerra civil. A família de Macilau lutou com dificuldades financeiras e mudou-se da província de Inhambane para a capital Maputo à procura de melhores condições de vida. Aos 10 anos de idade, Macilau começou a trabalhar num pequeno super-mercado, lavando carros num parque de estacionamento da estação e ajudando a carregar compras para dar apoio à sua família.

Começa a interessar-se por fotografia em 2007, quando trocou o telemóvel da sua Mãe pela sua primeira câmara. As suas obras representam uma mistura entre a fotografia conceitual, o documentário e a arte fotográfica. Vê a fotografia como uma arena onde se pode expressar criativa e activamente. O seu trabalho concentra-se na contemporaneidade, nas questões sociais, nas áreas urbanas e rurais, bem como no património cultural.

Actualmente, vive e trabalha entre Maputo e Joanesburgo e os seus trabalhos estão representados em várias publicações, incluindo livros, tendo sido exibidos em exposições nacionais e internacionais.

 Em "Terra da Boa Gente", Macilau revela-nos, através de um espólio de quotidianos a cores reunidos entre 2007 e 2009, as pessoas, os objectos, os momentos do Moçambique da boa gente. Macilau procura expor o resultado de vários exercícios de observar o país onde nasceu. Numa espécie de conversa com a vida moçambicana, Macilou convida-nos a partilhar de suas vivências. Cada imagem impressa nas suas fotografias transforma-nos em observadores privilegiados da sua história, da história da gente de Moçambique.